Julianne Lam
Jornalista e apaixonada pela escrita, se dedica à difusão do conhecimento, seja em sala de aula ou nas empresas. Muito prazer, pode me chamar de Jú!

SQL Server 2008: saiba o que acontece com o fim do suporte

Quando uma marca anuncia o fim de um suporte ou a descontinuidade de um produto, podem surgir dúvidas e até reclamações por parte dos consumidores. Por isso, resolvemos explicar o que significa o fim do suporte de software, por que acontece e de que maneira isso impacta seus negócios.  

O que significa o fim do suporte 

O que chamamos de suporte é um tipo de atualização (update) de segurança que serve para manter sua empresa protegida apesar da constante criação de ameaças virtuais pelo mundo. E como na internet o mundo inteiro está conectado, seus dispositivos aqui no Brasil podem estar vulneráveis a um hacker ou cracker da Rússia, por exemplo.  

 Sempre que falamos de software, precisamos considerar o suporte porque é uma das formas mais eficazes de manter sua máquina segura. Só para se ter uma ideia, todos os dias são criadas novas formas de ataque. Isso faz com que os computadores (e outros dispositivos) também precisem sempre de novas proteções. Um exemplo de suporte descontinuado é o do SQL Server 2008, que teve seu fim anunciado para dia 9 de Julho de 2009.  

O fim do suporte é um dos passos para descontinuar um produto ou serviço. E aqui entra um ponto importante para entendermos do assunto: todas as empresas têm necessidade de evoluir. Aliás, isso não é ruim para o usuário (mesmo). Sempre que uma empresa anuncia o fim de um recurso, significa que existem muitos outros à disposição que podem substituir as antigas funções, com novas possibilidades – que são até melhores do que as anteriores.  

Por que dar fim ao suporte? 

O fim do suporte de um software é motivo de atenção para empresas.

Por conta da necessidade de evoluir, as marcas passam a colocar seu foco em desenvolver e melhorar os produtos novos. Isso quer dizer que sobra menos energia, tempo e pessoal para trabalhar naqueles mais antigos. Não é uma seleção arbitrária. Afinal, a ideia central aqui é oferecer ao cliente o que a empresa tem de melhor, que são as ferramentas mais avançadas. E isso acontece muito na área de tecnologia, que tem uma forte cultura de pesquisa e desenvolvimento de novos programas.  

Como isso afeta meu negócio? 

É fato que o software pode estar funcionando normalmente, mesmo sem o suporte ativo. No entanto, ao manter o software desatualizado, sua empresa corre vários riscos. As máquinas ficam vulneráveis a sequestro de informações (da empresa e de clientes), invasão de hackers, vazamento de dados, vírus, entre outros problemas que podem afetar diretamente o bolso do proprietário, a imagem da empresa e o andamento dos trabalhos dos funcionários.  

Com máquinas lentas, a produtividade cai. Com erros constantes, o retrabalho aumenta e há grandes chances de haver um clima de desânimo e de descrença dos colaboradores na empresa em que trabalham. Só a ideia de que não se fazem investimentos para as ferramentas de trabalho dos colaboradores já é causas de muita insatisfação nas organizações — sem falar nos prejuízos materiais e no tempo desperdiçado para se executar tarefas simples.  

Por isso é importante atentar aos prazos para o fim do suporte. O mais recomendável a fazer é adquirir novas licenças antes da data chegar. E existem muitas opções de software, além de diferentes tipos de licença que você pode adquirir – que variam de acordo com o tamanho da empresa, dinâmica das equipes e ramo de atividade. Assim, se você ainda não tem muita experiência na compra de software, vale à pena consultar especialistas para te ajudar.  

Gostou deste conteúdo?
Então, curta nossas redes sociais e receba sempre novidades:
Facebook, Linkedin, Twitter e Instagram.